Livros: Lançamento conta história da TV Tupi do Rio de janeiro

No último dia 20 de janeiro, comemorou-se 60 anos da data de inauguração da TV Tupi do Rio de Janeiro, o segundo empreendimento televisivo no Brasil trazido por Assis Chateaubriand. Para celebrar, acaba de ser lançado o livro TV Tupi do Rio de Janeiro, Uma Viagem Afetiva, da prestigiada Coleção Aplauso, escrita pelo jornalista e produtor Luis Sergio Lima e Silva, que revelou a razão pela qual essa data é pouco lembrada: “A televisão começou em São Paulo mesmo, eles foram os primeiros do Brasil. Nós do Rio de Janeiro nascemos quatro meses depois. Resulta, que na ‘globalização’ dos fatos, nossa história ficou no bolo geral das emissoras associadas, e nunca ninguém se deteve em pinçá-la. É uma história inédita, merecia um re gistro à altura de sua grandeza e importância cultural.”

“Uma viagem afetiva” foi o título escolhido por Rubens Ewald Filho, crítico de cinema e coordenador da coleção editada pela Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. Neste livro, o autor percorre um caminho por onde a história do empreendimento televisivo na Cidade Maravilhosa se cruza com a história de sua própria vida.

Com uma narrativa que vai muito além do mero formalismo de um biógrafo ou de um historiador, o fascínio com que o então menino Luis Sergio acompanhou os primórdios da emissora carioca, passando pelo seu amadurecimento até chegar ao triste episódio de seu fechamento, constitui a matéria prima através da qual revela as memórias, lembranças e impressões dessa história.

“Comecei a ver TV lá pelos meus seis, sete anos de idade. Eu me lembro que ficava intrigado e me perguntava como podia cab er tanta gente aí dentro daquele caixote. Olhava atrás para ver se a Virgínia Lane estava alí, ou o Falcão Negro, ou o Carequinha, mas só enxergava válvulas, lindas e brilhantes válvulas. É na infância que a gente descobre a essência da vida, acho eu. A Tupi me despertou para as artes e para o jornalismo, que eu iria seguir no desenrolar da minha vivência. Ela foi fundamental, foi meu grito primal”, revela autor.

O livro, porém, não se atém às memórias de um expectador de primeira viagem. Além dos mais de 20 anos dedicados à memória da TV, Luis Sergio colheu ao longo do ano passado depoimentos de diversos pioneiros da televisão no Rio de Janeiro, entre eles Aracy Cardoso, Bibi Ferreira, Fernanda Montenegro, José Bonifácio de Oliveira, o Boni, Maurício Sherman, Sérgio Britto e Almeida Castro, cuja contribuição foi primordial para entender a emissora carioca, segundo o autor.

Assim como a querida amiga Maria da Glória, apresentadora, atriz e produtora relevante dos programas femininos da época, esteve ao meu lado me abrindo portas.” A programação diferenciada das TVs Tupi Rio de Janeiro e São Paulo, em uma época onde os recursos tecnológicos impediam a exibição e transmissão de um mesmo programa por todas as afiliadas, contribuíram para a formação de uma característica bastante peculiar da programação da Tupi carioca em comparação à emissora paulista.

O livro conta com mais de 200 imagens de arquivos pessoais de personalidades que contribuíram para essa história, entre elas Cidinha Campos, Eva Todor, Norma Blum, Nelson Hoineff, Yoná Magalhães, entre outros.

Share

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *